O dia é HOJE, e amanhã começa um novo ano!


A necessidade do homem em organizar sua vida em relação ao tempo fez com que fossem criados os calendários. A partir da observação do movimento regular do sol e da lua, foi possível aos povos antigos determinar as épocas para o plantio e a colheita, as chuvas, a seca, e assim determinar as possibilidades das atividades do homem.
O povo Maia criou mais de 20 calendários para medir e organizar o tempo, harmonizando os ciclos da natureza[bb], do universo e do homem. Para eles, o que deve ser observado no tempo não é a sua medição e sim as suas qualidades. Cada dia tinha um tipo de energia que se relacionava com a vida, com os homens.

Para os Maias, o tempo é uma repetição constante de ciclos, com saltos de evolução no final de cada ciclo. O tempo[bb] é evolução.
O Calendário Lunar dividia o tempo em 13 luas, portanto o ano tinha 13 meses de 28 dias = 364, e mais um dia adicional que corresponde ao dia 365, chamado de DIA FORA DO TEMPO.

Observa-se na pirâmide de Kukulkán em Chichén Itzá exatamente em sua arquitetura, esse “salto evolutivo”: 4escadas de 91 degraus cada uma = 364. Acrescentando a plataforma da pirâmide que une todos os 4 lados com as escadas, se faz um total de 365: 364+ o DIA FORA DO TEMPO = 365, o dia da evolução.

Os Maias determinaram como início do ano solar um evento cósmico que é a ascensão da estrela Sirius em alinhamento com o sol. Esse evento ocorre no dia 26 de Julho (no calendário gregoriano) de cada ano. Então, o ano de 13 luas ou 13 meses começa exatamente nessa data, dia 26 de Julho de cada ano e termina do dia 24 de Julho.

O dia 25 de Julho, portanto, não pertence nem a um e nem ao outro ano, é um dia livre, em que se concentra toda a energia para o ano que vai começar.

Nesse dia, os Maias se preparavam para um novo ciclo. Era um dia para dar menos importância aos assuntos cotidianos, e especialmente bom para meditar, perdoar, para cancelar dívidas, elevar o estado de consciência, para ser bondoso, estar em contato com a natureza, sentir-se livre e dedicar-se às artes.

Desde 1992 esse dia tem sido comemorado como o festival da paz através da cultura. É um dia de limpeza[bb], reflexão e preparação para receber, no dia seguinte a energia do novo ano. Um dia para nos unirmos em pensamento e desejo, assumindo o ano que se aproxima.

Regina Minas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

café com Amigas!

Um dia Eu Voltaria.